VIVENDO O REINO MILENAR DE CRISTO

    O REINO MILENAR

                                        E veio a mim a palavra do Senhor dizendo:
                       Filho do homem, fala aos filhos do teu povo
                       e dize-lhes: Quando eu fizer vir a espada sobre
                       a terra, e o povo da terra tomar um homem dos
                       seus termos, e o constituir por seu atalaia; e
                       vendo ele que a espada vem sobre a terra, 
                       tocar a trombeta e avisar o povo; se aquele
                       que ouvir o som da trombeta, não se der por
                       avisado, e vier a espada, e o alcançar, o seu
                       sangue será sobre a sua cabeça. Ele ouviu o
                       som da trombeta e não se deu por avisado, o
                       seu sangue será sobre ele, mas o que se dá por
                       avisado salvará a sua vida. Ezequiel 33:1-5

1 - O que acontecerá durante o milênio?
2 - Onde será a Nova Jerusalém?
3 - Quem reinará com Cristo? 
4 - O que ocorrerá com as nações durante o milênio?
5 - Como será a vida social durante o milênio?
      (Para o melhor entendimento desta matéria complexa, sugerimos a leitura do link: LÓGICA E RAZÃO
             

              Prezados irmãos Cristãos e demais povos da Terra!

              Desde o início da história humana, quando os primeiros povos passaram a fazer uso da escrita para sua comunicação e com o tempo perceberam que aqueles escritos eram úteis para as novas gerações que se formavam, iniciou-se o registro daquilo que hoje conhecemos como a história da humanidade. O homem tem nestes registros documentado momentos de glória e derrota, de grande sabedoria e sórdida insensatez, momentos de luz e de trevas. Nenhum império, nenhuma cultura, nenhum povo, nenhuma nação e nenhuma história se sustentou incólume durante o período da história da civilização, com uma única exceção de história, cultura e  reino que desde então tem sido divulgado aos quatro cantos da terra, estou falando da história das profecias, da cultura e do Reino de Deus, por meio de Israel!
               Podemos ver hoje que as nações milenares como o Egito, o Irã (Pérsia), Iraque (Babilônia), China, etc., são povos que embora tenham se mantido em parte do território que dominaram durante o seu apogeu, foram influenciados e até dominados por outras nações mais poderosas que surgiram, assim podemos concluir que como tudo na terra, as nações também passam e o que
chama atenção é o fato de que também nessas nações a religião teve um papel importante na formação de seu povo, contudo em nenhuma outra nação se observou um processo de continuidade tanto no povo quanto na influência que a religião exerceu sobre este como em Israel, cuja origem e fim estão ligados à esperança da promessa do Deus único - Jeová! Nenhum outro deus exerceu e exerce tamanha influência sobre os habitantes da terra quanto àquele que desde o início se apresentou como o único e verdadeiro Deus, criador de toda a existência.
                Embora não possamos vê-lo com nossos olhos físicos, podemos vê-lo na concretização daquilo que projetou para toda a sua criação através das profecias, quando jurou para Si mesmo que os céus e a terra poderiam passar mas não as suas palavras (Lucas 21:33) e, nos acordes deste projeto estabeleceu que o povo judeu, escolhido para levar a todos os demais habitantes da terra o caráter e a natureza divina do Criador se espalharia pelos quatro cantos da terra, fazendo-se moradores em todas as nações e hoje, certamente não existe nação no planeta terra onde não exista sangue judeu., mas o que isso representou para o Grande Projeto de Deus para a humanidade?
Sidney Sheldon, judeu de origem alemã e Jerry Lewis, judeu de origem russa









       Bob Dylan, autor de blowing in the wind e Einstein, criador da teoria da relatividade


                                          


  Rabinos ortodoxos russos                                        Adolf Hitler - pivô de duas grandes guerras mundiais


 Karl Max - pai do socialismo  e Sigmund Freud, criador da psicanálise


judeus indianos e etíopes levados para Israel pela Operação Moisés

Ao escolher um povo para revelar-se a ele, naturalmente é compreensível considerar que este povo tenha sido influenciado mental e espiritualmente pelo caráter de Deus e como sinais desta influência podemos constatar que os judeus estão intimamente ligados aos grandes fatos da história humana, fatos estes que retratam a "grande misericórdia", mas também a "grande ira" de Deus. Podemos então, usando o adágio popular dizer que Deus "escreve certo por linhas tortas?" Não, exatamente, é a resposta mais correta! Deus, porém, no uso de sua soberania e considerando a torpe natureza humana, permite que Satanás opere, para que a humanidade, conscientizando-se de sua complexa natureza aperfeiçoe os padrões de convívio social. Muitos líderes surgiram durante a história moderna, quando o homem passou a se conscientizar das infinitas possibilidades do conhecimento e estes, muitas vezes, até muito bem intencionados, elaboraram projetos de convivência harmônica, justa e fraterna entre os homens, contudo, pudemos constatar que muitos destes líderes sábios ou loucos, imaginavam que, com suas "brilhante idéias" pudessem aprumar a humanidade, mas as consequências dessas tentativas, como a história mostra, foi a ruina.
                Constatamos que hoje vivemos num mundo multipolarizado, no qual grupos de nações tentam unir-se para se tornarem mais fortes econômica e socialmente, vislumbrando um dia a conquista de um governo mundial onde reine a paz e a fraternidade, contudo esta possibilidade não está prevista nos textos bíblicos, antes esta paz e fraternidade somente será alcançada com o REINO MILENAR DE CRISTO!



PRINCIPAIS PERGUNTAS SOBRE O MILÊNIO:

1) O QUE ACONTECERÁ NO MILÊNIO?

     Para responder esta pergunta é necessário conhecer com detalhes os acontecimentos finais que precedem o Reino Milenar de Cristo e estes acontecimentos têm a seguinte sequência: Retorno de Israel ao seu território e restabelecimento do Estado Judeu (Ezequiel 36 e 37, Oséias 3:4-5, já ocorrido), divulgação do Evangelho para todas as nações (Mateus 24:14), hoje a bíblia e pregações estão disponibilizadas pela Internet e mídias audiovisuais para quem quiser ouvir ou ver), a medição do santuário (Apocalipse 11:1-2), os escândalos da Igreja,  hoje rotineiros, são divulgados pela mídia e serve como um refinamento para a comunhão eternal com Cristo. A Igreja de hoje se assemelha à de Laodicéia, citada em Apocalipse 3:14-22,  o testemunho das duas testemunhas (Apocalipse 11:7-14). Eles vivem mas o "seu" testemunho está por vir, batalha entre as duas testemunhas aliadas à Igreja contra o anticristo, perseguição do anticristo à Igreja,  (Apocalipse 12-17), morte, ressurreição e ascensão ao céu das duas testemunhas, arrebatamento dos cristãos salvos da Grande Tribulação (a igreja será arrebatada antes do derramamento das taças da ira de Deus Apocalipse 7:9, 8:5,  Apocalipse 16),  derramamento das sete taças da ira de Deus sobre a terra. vitória de Cristo sobre a besta, a prisão de Satanás e o início do Reino Milenar.
     Como pudemos ver todas as nações testemunharão acontecimentos grandiosos e conhecerão a fidelidade das profecias bíblicas e o poder incomparável de Deus, então, a essa altura, se porventura alguém ainda não tenha conhecido o Evangelho por meio dos missionários, pela internet, por tv a cabo e outras mídias certamente conhecerá neste momento. Tanto a Igreja como as nações  estão sendo preparadas para o convívio milenar com Cristo em Jerusalém. As nações serão por Ele regidas e assim não farão guerra entre si e a paz e a justiça que o homem tanto almeja finalmente serão uma realidade visível (Isaías 2:4, Jeremias 3:17).
      Existe um sério problema de interpretação quanto ao momento do arrebatamento da Igreja, se este se dará antes, no meio ou ao final da grande tribulação. Para trazer luz a este dilema e com o intuito de se construir um consenso entre cristãos desapegados a paixões e paradigmas humanos, vejo a necessidade de uma sincera e urgente reflexão sobre os principais textos nos quais se apoiam estas divergências, a saber: Mateus 24, 2° tessalonicenses 2 e Apocalipse 8.
       A Visão dispensacionalista (link), que é a mais aceita pelos cristãos evangélicos pentecostais prega que o arrebatamento se dará antes da Grande Tribulação (link) e governo do Anticristo. Os termos em azul escuro neste parágrafo são links para melhor compreensão deste dilema. No texto de Mateus 24, nos versículos 29 a 31, preditos pelo próprio Jesus a seus discípulos, traz a ideia de que o arrebatamento ocorrerá após grandes flagelos sobre a terra, mas isso é apenas o princípio das dores. No texto de Tessalonicenses capítulo 2 escrito pelo apóstolo Paulo à Igreja em Tessalônica, são feitas advertências aos cristãos quanto às sedutoras investidas do anticristo, conclamando o povo de Deus a se manter firme nas tradições do evangelho, para resistir e poder então ser salvo, mas não afirma que um grupo de cristãos irrepreensíveis seriam arrebatados antes que estes fatos ocorram, também isso não está escrito em nenhum capítulo de Apocalipse, mas antes uma triste sucessão de fatos terríveis, que servirão para purificar a Igreja e as nações. 
        Conforme o texto sobre a visão dispensacionalista, no que tange ao arrebatamento, temos de considerar que alguns conceitos desta visão, relatada por uma jovem adolescente não podem se sobrepor ao cânon bíblico, sob pena de se multiplicar os sofrimentos já previstos para o tempo do fim, por gerar uma expectativa que não se concretizará. Sejamos pois  MADUROS (link) e corajosos o suficiente para encararmos os fatos e estes dizem hoje que as duas testemunhas vivem e que estão prestes a dar o seu testemunho, após o qual será identificado o anticristo (Apocalipse 11:7). 
          Antes do Reino Milenar os povos da terra estarão divididos entre: ARREBATADOS (os salvos da Grande Tribulação - estarão diante do Trono de Deus - sequencia de Apocalipse 7:9 e capítulo 8), os MÁRTIRES (aqueles que deram suas vidas por pregaram o Evangelho durante o reinado do anticristo - estes reinarão com Cristo no Reino Milenar) e os REDIMIDOS (aqueles que aceitaram a Cristo pela pregação dos mártires na Grande Tribulação, estes habitarão as nações da terra) (Apocalipse 20:8, 21:26, 22:2), ou seja, as nações, agora santificadas, conviverão em paz e harmonia com o Reino celeste para a eternidade.

2  - ONDE SERÁ A NOVA JERUSALÉM?




       Embora alguns intérpretes bíblicos entendam que o Reino Milenar não se dará no Planeta terra, tendo por base o texto de 1° Tessalonicenses 4:17 e Mateus 24:30, toda a promessa bíblica aponta para o Reino de Cristo em Jerusalém, sendo a dimensão territorial deste reino bem maior que a do atual estado de Israel. (Gênesis 12:1-3, Jeremias 31:31-40, Isaías 65:21-25, Ezequiel 43:1-7, Salmos 48:1-6, Miquéias 4:3, Isaías 2:4, Zacarias 14:9, Mateus 25:31-32, Apocalipse 15:4, Apocalipse 19:6-18, Apocalipse 21:1-3). 
       Quanto ao arrebatamento nos ares não é difícil entender que embora sejam arrebatados nos ares, os escolhidos serão trasladados da seguinte forma: 
        - A Igreja para a Jerusalém celestial (temporária), 
        - Ainda que não se possa afirmar categoricamente que seja por meio de arrebatamento, os 144.000 ungidos e os mortos da grande tribulação serão enviados de várias nações para a Jerusalém física (início do Reino Milenar, Apocalipse 7, Apocalipse 14:1-5, Apocalipse 20:4-5).

3 - QUEM REINARÁ COM CRISTO NO REINO MILENAR?

      Todos os que foram mortos por causa do Evangelho e pela causa de Deus em todas as épocas (primeira ressurreição), incluindo os da grande tribulação,  os cento e quarenta e quatro mil ungidos (Apocalipse 20:4-6, Apocalipse 14:1) e as duas testemunhas.

        Às duas testemunhas (Apocalipse 11) foi confiado um ministério que se inicia antes da parousia, no preparo da Igreja e nações para o Reino Milenar, pelejarão contra o anticristo na Grande Tribulação, após serem mortos serão chamados ao céu, talvez para testemunhar o que está preparado para os salvos e assim darem o seu testemunho durante o milênio (Apocalipse 11:12). Na sequência, a Igreja, arrebatada antes do silêncio de "meia hora" ou quinze dias que precedem o derramamento das sete taças da ira de Deus e diante do trono de Deus e como os mortos da Grande Tribulação também têm a promessa de estar com Cristo durante o Reino Milenar (Apocalipse 21).    
        Gostaria de chamar a atenção para um detalhe do ministério das duas testemunhas que, pelo motivo de não se ter tido durante os quase dois milênios a compreensão exata desta profecia, algumas pessoas estranham o fato de que antes da segunda vinda de Cristo, se faça necessário a presença de dois profetas a testemunharem (2° Coríntios 13:1) e prepararem o caminho para o Seu Reino Milenar, como se isso não estivesse sido previsto no cânon bíblico, porém, se por falta de entendimento, considerar-se este ministério apócrifo, estar-se-à infringindo aos mandamentos previstos em Apocalipse 22:18-19, cuja pena é estar excluído do Livro da Vida e da Cidade Santa, ou seja, estar destinado ao fogo eterno.  

        Se apenas estas pessoas reinarão mil anos com Cristo, então cabe perguntar: onde estarão todos os mortos em Cristo que não morreram por causa do Evangelho, mas o guardou em seu coração e ações e também os salvos da geração que presenciou a Parousia?
         Quanto aos mortos em Cristo desde o início dos tempos, estes serão chamados na segunda ressurreição para o Julgamento do Trono Branco (Apocalipse 20:12-13) e quanto aos arrebatados na vinda de Cristo, estes ficarão diante do Trono de Deus (Apocalipse 7:9-16), observem que este texto não trata dos que não morreram durante a grande tribulação (as nações), mas dos que resistiram ao anticristo e foram poupados dos terríveis flagelos de Deus derramados durante a grande tribulação sendo arrebatados antes destes acontecimentos. percebam, que na sequência, no capítulo 8, já estando a Igreja diante do trono, após um silêncio de meia hora (momento de grande expectativa por parte dos anjos e da Igreja devido ao julgamento de Deus sobre a terra), é cumprida a sentença que fora retida no início do capítulo 7), pois Jesus os arrebatou e com eles congregou até que iniciasse seu Reino terreno milenar, ou, considerando Jesus Cristo como ser onipresente e estando simultaneamente reinando na terra e nos céus, estarão também com Ele no céu. Em Apocalipse 21:1-3 o apóstolo João relata sua visão da Igreja, a noiva descendo do céu ao encontro de Cristo que se encontra em seu Reino Milenar terreno, assim se consumará a promessa de que céus e terra serão um só governo, uma só nação (Apocalipse 21:3-4). Quanto a esta passagem é interessante lembrarmos que ao final do reino milenar Satanás será solto e sitiará a Cidade de Cristo, por isso não está bastante claro que esta descida da Igreja (noiva, que se encontra junto ao trono de Deus) se dará no início, meio ou após o Reino Milenar.
           No período entre o arrebatamento e o início do Reino milenar, se fará no céu um silêncio de "meia hora", quando as orações dos santos serão postas diante do trono de Deus e com a fumaça de muito incenso chegarão até o Todo Poderoso, que encheu o incensário de ouro com o furor de sua ira e a derramou sobre a terra, dando início aos últimos flagelos que precederão ao início do Reino Milenar. (Apocalipse 5:8 e 8:3-6). Segundo a interpretação de alguns estudiosos esta "meia hora"significa quinze dias e os 144.000 selados e todos os que não aceitaram a marca do anticristo mas também não haviam aceitado a Cristo como seu único e suficiente salvador antes da Parousia serão de algum modo protegidos dos imensos flagelos decorrentes do derramamento das sete taças da ira de Deus. Os cento e quarenta e quatro mil reinarão com Cristo em Sião e os redimidos em todas as nações formarão as nações santas e benditas por Jesus.

4 - O QUE OCORRERÁ COM AS NAÇÕES DURANTE O
      MILÊNIO?

           Nos dias em que escrevia este texto,  a cidade do Rio de Janeiro, antiga capital do Brasil, abrigou a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Ao ver povos indígenas, manifestantes do Green Peace, crianças, jovens e adultos das mais diversas nações manifestando suas preocupações quanto ao destino do planeta que nos abriga e como mãe, nos sustenta em tudo o que precisamos, vi estar sendo cumpridas parte da profecia contida em Sofonias 3:8-9. 

            O planeta atingiu uma população de SETE (link) bilhões de pessoas, muitas nações atingiram um patamar de conquistas sociais das quais não pretendem abrir mão e a grande parte destas conquistas mediante a destruição da natureza (Os flagelos das últimas décadas e Apocalipse 11:6 - link), dizimação de povos indígenas e guerras. 
              Com a prometida multiplicação da ciência (Daniel 12:4), o conhecimento humano produziu remédios, vacinas e intervenções médicas que trouxeram alívio à muitas dores, curaram doenças antes incuráveis e salvou vidas que em poucos tempos atrás seriam certamente ceifadas, mas por outro lado as maravilhosas descobertas da ciência também foram responsáveis pelo aumento populacional, pois com a universalidade da educação, os povos passaram a exigir melhores condições de salubridade e de dignidade tanto no ambiente de trabalho como também nos bairros em que residem, obrigando os governos a fazer investimentos em saneamento e saúde, o que certamente ocasionou uma diminuição significativa no número de óbitos por problemas de saúde, assim como também um crescente aumento na expectativa de vida das pessoas, nos mais diferentes países.

Foto da NASA tirada de Marte mostra os planetas Júpiter, Vênus e Terra alinhados. É inegável  que o conhecimento humano se desenvolveu a passos largos nas últimas décadas, porém a "loucura" de Deus é mais sábia que todo o conhecimento humano junto. 1 Coríntios 1:25




                 Com o rápido crescimento populacional no planeta graças ao progresso científico, a demanda por alimentação, vestuário, transporte e tudo que uma pessoa hoje necessita para viver dignamente, fez com que a nossa mãe Terra sentisse os efeitos de uma exploração frenética e muitas vezes descontrolada e os desníveis sociais que sempre existiram criaram um abismo entre os mais pobres e os mais ricos, de tal forma que hoje podemos, com justiça, questionar francamente se estes dois tipos extremos são realmente humanos, ou melhor ainda, o que hoje podemos melhor conceituar como humano?


               


  
       
                 É preciso compreender que a ideia econômica de que se produzindo riqueza se diminui a pobreza não tem dado muito certo, mas pelo contrário, os níveis e conceito de riqueza tem se elevado sobremaneira, simplesmente porque o homem não satisfaz o seu espírito com coisas materiais, e assim artigos cada vez mais sofisticados são empregados nos vestuários, nos mobiliários, nas construções, com o objetivo de se satisfazer o ego daqueles que transitam nos meios sociais mais elevados, pois, ao perceberem que seus pares possuem uma peça de decoração, uma jóia, um determinado jardim ou um automóvel, estes se vêem compungidos a adquirir algo similar ou superior para se manter nivelado naquele grupo. 
                  Alguns economistas afirmam que isso é benéfico, pois movimentaria a economia, com a criação de empregos e impostos, mas na prática o que se observa é que cada vez mais os trabalhadores no comércio precisam de dispor de mais horas de trabalho para que possam alcançar as metas estipuladas pelas empresas em que trabalham, isso porque, com uma ascensão de um maior número de pessoas às classes médias e altas estes artigos mais sofisticados passaram a ser mais consumidos e como consequência seus preços caem.
                     As nações elaboram suas políticas econômicas de maneira a manter a sustentabilidade de sua engenharia financeira, comercial e industrial, de modo que um maior número de seus cidadãos possam se manter economicamente ativos, contudo esta sustentabilidade econômica nem sempre está associada a uma sustentabilidade ambiental, social e educacional, relegando àqueles que foram secularmente abandonados pelos estados uma situação social à margem deste sistema de riqueza.



                                       É visível que este frenesi econômico e financeiro provoca situações sociais e ambientais, cujas consequências nocivas  se refletem na insegurança, na poluição e nas condições indignas de moradia, tal como nunca se viu na história humana.
                      Como se pôde perceber tanto na Conferência ambiental Rio + 20 (link) e outras conferências que afetam diretamente a matriz econômica das nações mais ricas, os resultados que se esperam ficam sempre muito aquém daquilo que os povos sonham, tudo porque esta matriz econômica está intimamente ligada justamente à exploração destes mesmos povos, ou seja, as nações industrializadas mantêm o padrão de vida de seus cidadãos principalmente com a tecnologia de ponta que dispõem e estas tecnologias caríssimas estão associadas à indústria bélica, automobilística, farmacêutica e de informática principalmente, por isso quando se fala em paz, saúde, diminuição da poluição e difusão do conhecimento,  isto se confronta diretamente com seus interesses econômicos e, pelo poder de suas economias, abafam ou camuflam esta triste verdade.














                                                   No Livro de Apocalipse 9 podemos compreender hoje algumas formas alegóricas com que foram descritas as armas de guerra atuais. Os profetas bíblicos tinham visões dos dias atuais, mas como não tinham naquela época as palavras adequadas para descrever suas visões, se expressavam conforme a impressão daquilo que lhes era dado ver.
                Como podemos então pensar num reino milenar que promoverá a tão almejada união das nações (Apocalipse 21:24) num planeta cujas nações já possuem interesses tão conflitantes? Como poderá o Príncipe da Paz promover a paz (Salmos 46:9, Isaías 2:4) se a mesma guerra que gera desgraça para as nações em conflito também gera lucros estratosféricos para as nações produtoras de material bélico?, Como poderá o Médico dos médicos, da Cidade Santa levar saúde para as nações (Apocalipse 22:2), se as pestes e doenças enchem os cofres das nações já ricas?
Como tornar o planeta um local saudável para se viver, se os combustíveis fósseis como o petróleo e o carvão mineral e as usinas nucleares que contaminam a terra, ar e água (Apocalipse 11:18) são o "sangue" que leva a energia necessária para manter este sistema econômico perverso? Como cessar o engano (Daniel 8:25, Apocalipse 21:17). que está entranhado na alma e no dna humano? 
                 Como se pode ver, amigos e irmãos, não será com brandas palavras que Jesus reinará, mas antes com mão de ferro e todo o poder que lhe foi dado por Seu Pai celeste (Apocalipse 19:15). Contudo, para dar uma pequena ideia deste poder é que pouco antes de Sua vinda, enviará SUAS DUAS TESTEMUNHAS, (ver as postagens sobre as duas testemunhas em http://asduastestemunhas.blogspot.com/a preparar-lhe o caminho, como fez João Batista em sua primeira vinda e  assim como Zorobabel, trarão prumo e medidas para sua Noiva, a Igreja (Zacarias 4, Apocalipse 11:2-4), Como Elias, farão descer fogo e fecharão o céu para que não chova no dia em que profetizarem (Apocalipse 11:5-6), como Moisés trarão pragas e flagelos à terra (Apocalipse 11:6), como Jesus serão mortos pela causa do Reino de Deus, ressuscitarão após três dias e meio e ascenderão ao céu, sendo vistos por toda a terra (por meio da televisão e internet) (Apocalipse 11:7-12) e com o "seu" testemunho será revelado o anticristo (Apocalipse 11:7), que, empossado como líder deste sistema perverso e injusto declarará guerra a estes dois profetas, únicos homens no cânon bíblico previstos para esta obra no fim dos tempos, e a esta altura, devido ao "seu" ministério singular, Cristo já preparou a Igreja e Israel para a batalha final.
                 Então amados irmãos, não é projeto de Deus aniquilar todas as nações, mas pelo furor de sua ira, purificá-las como o ouro em fogo ardente, para que assim todo o gênero humano seja purificado em seu coração, no qual habitará a paz, a justiça e a fraternidade. E Jesus não reinará como um cordeiro, como veio em Sua missão Redentora, mas reinará como o Leão da Tribo de Judá, com corpo imortal e glorificado (Apocalipse 1:13-17 e 21:22-27), assim como todos os que com Ele reinarão. 
                   
5 - COMO SERÁ A VIDA SOCIAL DURANTE O MILÊNIO

                   O texto bíblico nos leva a entender que durante o Reino Milenar, os povos das nações ainda continuarão a casar-se, terem filhos e morrerem, não obstante isso não ocorra nos domínios do Reino Milenar de Jesus; podemos chegar a esta conclusão pelas leis da LÓGICA (link), no uso do método hipotético-dedutivo de Descartes ou pelo método Fenomenológico de Edmund Husserl, ambos confirmados pelo Espírito Santo (1 Coríntios 12:8), pelos quais podemos desenvolver o seguinte problema: 
                     1) No texto de Apocalipse 20:4 há a informação que Cristo reinará com todos os que foram mortos pelo anticristo mais os 144.000 eleitos de Israel no Monte Sião e isso certamente representará um número grande de pessoas. 
                     2) Em Isaías 11:1-9, há a afirmação que em Sião, de onde Cristo repreenderá os mansos e ferirá a terra com a vara de sua boca e ao ímpios matará com o sopro de seus lábios, haverá paz, o instinto selvagem dos animais não existirá e Jesus e seu lugar de repouso serão buscados pelos povos gentios.
                      3) Em Obadias 1:16, confirma que os gentios beberão e sorverão as bençãos de Sião.
                      4 ) Em Mateus 22:30 Jesus fala aos seus apóstolos que após a ressurreição, os que forem para o céu serão como anjos, não casando nem se dando em casamento.
                      5) Em Daniel 2:44, na interpretação do grande sonho de Nabucodonosor, o profeta diz que o Reino Milenar de Cristo esmiuçará e consumirá todos os reinos que lhe for contemporâneos.
                       Com estas informações podemos traçar um perfil de como viverá a sociedade contemporânea ao Reino Milenar. Nas profecias relativas à Nova Jerusalém ou Sião, conforme se queira nominar, percebe-se sempre uma distinção que é feita entre a forma como a sociedade, os animais e os indivíduos conviverão, assim, pela lógica, cabe concluir que o mesmo não vale para o restante do planeta, caso contrário isso estaria informado mesmo que implicitamente, o que não ocorre, assim podemos considerar que:
                       a) Os habitantes da Nova Jerusalém são seres que já alcançaram a eternidade, uma vez que foram os primeiros a ressuscitar e obter os lauréis, estando capacitados para julgar (Apocalipse 20:4), contudo nada disso é dito às demais nações contemporâneas deste Reino, antes porém, é dito que estas serão por este Reino regidas. 
                       b)  Conforme o texto de Isaías 11, não há a afirmação de que não haveria contendas entre as pessoas e entre as nações durante o milênio , contudo estas contendas serão sanadas com o poder de Cristo Glorificado. Em Mateus 28:18 Jesus disse que todo o poder lhe foi dado no céu e na terra, e como antes do Reino Milenar as Duas Testemunhas demonstraram em pequena escala o poder que Dele emana, Cristo detém este poder em sua totalidade, pois Ele mesmo o deu a estes seus dois ungidos (Apocalipse 11:3) e com ele, em sua totalidade regerá as nações, com poder para causar flagelos e matar, simplesmente pela palavra que sai de sua boca. Assim, a ambição exagerada, o desnível social acentuado e toda injustiça não terão mais espaço nas relações humanas. Lembremos que Jesus glorificado reinará com justiça, amor e paz, contudo Ele também é fogo consumidor! (Hebreus 12:26-29)
                        c) As nações sorverão as suas bençãos. Não haverão superpotências militares, pois Aquele que detém a plenitude do conhecimento, da justiça e do poder fará juízo entre as nações e estas converterão suas armas em arados e enxadas (Isaías 2:4, Isaías 16:5) e todo o recurso trilionário hoje consumido em armas será alocado para o bem estar dos povos. Que Maravilha! Os povos não padecerão fome, pois andarão no seu Santo conserto! (Gênesis 49:10, Jeremias 3:17, Jeremias 33:14-16), Não haverão multimilionários em detrimento de pessoas muito pobres, antes a terra experimentará uma melhor distribuição da renda. As nações zelarão dos recursos naturais (Apocalipse 11:18). Os povos das nações gentias testemunharão todo o cumprimento das Sagradas Escrituras e verão que na Nova Jerusalém habita um povo glorificado, separado e santificado, aptos a abençoar e a julgar os povos e as nações com equidade e justiça. Apocalipse 20:4)
                          d) Diferentemente ao que ocorrerá na Cidade Santa, os povos das nações (os redimidos na grande Tribulação) continuarão no mesmo processo secular de vida, ou seja, como não morreram nem foram arrebatados, continuarão a trabalhar, a casar, a ter filhos e também a morrer, mas agora morrerão em Cristo, pois o vil enganador foi preso por mil anos, porém, aos que se aliarem a Satanás quando este for solto  após o milênio, estes irão para o fogo eterno juntamente com ele, onde já se encontra a besta e o falso profeta. (Apocalipse 20:7-12).
                           e) A visão de Daniel de que Cristo esmiuçará e consumirá todas as nações iniciará durante o milênio e se concretizará após o julgamento final. Quando se fala em esmiuçar, ou tornar em miúdos, a palavra quer dizer que com a presença Daquele que detém a plenitude do conhecimento, do poder e da justiça junto aos homens (Apocalipse 21:3) não se justificarão os intentos humanos na busca do conhecimento, já que este, o verbo criador e detentor da plenitude do conhecimento aqui se encontra, não se justificará a guerra, pois o Grande e legítimo herdeiro, legislador e príncipe da paz, aqui se encontra, não se justificará as injustiças sociais, pois a plenitude da justiça reina com os homens. Quando se fala de consumir as nações, não fala de se consumir os povos das nações, mas não fará sentido o sentimento nacionalista ou patriótico, a concorrência protecionista e a competição entre os povos que gera os conflitos, porque o Verbo Criador tem seu tabernáculo entre sua criação e criaturas, voltaremos ao início dos tempos, a humanidade, com a ajuda do Redentor reconquistou o Paraíso perdido pelo pecado de Adão, pois por um homem entrou o pecado no mundo e por um homem este pecado foi eliminado (1 Coríntios 15:45).

Por: Nelsomar Correa  em 25/06/2012


Nenhum comentário:

Postar um comentário